Município de Cuiabá firma acordo com MPs para inserção social de catadores do lixão

Aos catadores e às catadoras do lixão de Cuiabá será garantido o pagamento pela realização de serviços ambientais, pelo prazo inicial de seis meses. O acordo também obriga o Município a implementar a coleta seletiva em todos os bairros da capital até julho de 2015.

22/07/2014 - O Município de Cuiabá assinou, na última quarta-feira (16), com o Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE-MT) e com o Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT), um acordo judicial para o cumprimento da Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que estabelece o mês de agosto como limite para o fechamento de todos os lixões do país.

Imprimir

MPT participa de reunião com órgãos públicos estaduais para cobrar implementação da coleta seletiva

21/07/2014 - O Fórum Estadual Lixo e Cidadania realiza na próxima terça-feira (29), das 8h às 12h, na Associação Mato-grossense dos Municípios (AMM), o I Seminário de Sensibilização dos Órgãos Públicos para Coleta Seletiva. O evento contará com a participação do Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT) na mesa redonda “Leis, Programas e Projetos”.

Imprimir

MPT e MPF recomendam que Embrapa invista em modelos de produção agrícola sustentáveis

16/07/2014 - O Ministério Público do Trabalho (MPT), por meio do Fórum Nacional de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos, e a 4ª Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público Federal (MPF) encaminharam, no mês passado, ofício ao presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com recomendações para que seja privilegiada nas pesquisas a busca por modelos alternativos de produção agrícola, tendo em vista a insustentabilidade dos sistemas convencionais.

Imprimir

Jornada de 16 horas por dia e falta de condições sanitárias levam empresa a ser condenada em R$ 500 mil

16/07/2014 - O Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT) recebeu, na semana passada, a notícia da condenação da companhia francesa Areva Renewables em R$ 500 mil pela prática de irregularidades trabalhistas nos canteiros de obras das PCHs (Pequenas Centrais Hidrelétricas) Ilha Comprida Energia S.A. e Segredo Energia S.A., localizadas na zona rural do município de Sapezal. Estima-se que 2,5 mil trabalhadores tenham passado pelos locais e, de alguma forma, ficado expostos a riscos no ambiente de trabalho.

Imprimir