Atenção
O atendimento presencial é feito seguindo os protocolos de segurança contra a Covid-19. Antes, ligue e tire suas dúvidas sobre denúncias e atendimento. Veja aqui os telefones.

Destinação do MPT vai contribuir com projeto de geração de renda voltado a mulheres rondonopolitanas

16/11/2021 - O Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT) destinou R$ 9,8 mil ao projeto Mãos Solidárias, da Pastoral da Mulher Marginalizada de Rondonópolis, para desenvolvimento de ações visando à inclusão de 80 mulheres em situação de pobreza no mercado de trabalho.

O objetivo do projeto é fortalecer a economia familiar. Para isso, serão fornecidos cursos profissionalizantes, divididos em duas etapas, sendo a primeira de produção de sabão líquido, sabão em barra e sabão em pó; e a segunda, de confecção de tapetes e sousplats de crochê. Nas duas etapas as alunas contarão com um módulo de venda e de apresentação de seus produtos.

A Pastoral da Mulher Marginalizada, ligada à Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), é uma entidade que atua há mais de 60 anos no território nacional para enfrentamento e combate à exploração e abuso sexual de crianças e adolescentes, enfrentamento e combate ao tráfico de pessoas e atendimento de mulheres em situação de prostituição.

Segundo Maria Roselly Rodrigues Pinheiro Cândido, agente da Pastoral, “as famílias selecionadas para o projeto são sempre de moradores de periferias, com renda familiar bem baixa...E o que se sabe é que por trás dessas mulheres, na maioria arrimos de família, sempre há muitas pessoas, sendo na maioria crianças". Ela ressalta que "é muito importante, para a sociedade como um todo, desenvolver atividades que possam levar essas famílias, que já estão desesperançadas, a terem uma luz no fundo do túnel, ajudá-las com alguma atividade que possa melhorar a sua renda".

A agente pontua que a pandemia da Covid-19 deixou claro o quanto mulheres e crianças brasileiras são especialmente atingidas pelas condições sociais, políticas e econômicas. “Esse fato se reflete no aumento da pobreza entre elas e, consequentemente, no aumento de exploração sexual das mulheres e adolescentes que sofrem esta violação de direitos”.

O procurador do Trabalho Gustavo Athaide Halmenschlager reforça que há maior adequação e efetividade nas destinações feitas pelo MPT quando voltadas a projetos relevantes para a comunidade local. “Essa aplicação dos recursos está indiscutivelmente ligada à formação profissional, estando ainda a iniciativa, execução e proveito do projeto ligados diretamente ao local do dano”.

IC 000076.2013.23.001/1

Informações: Ministério Público do Trabalho em Mato Grosso (MPT-MT)

Contato: (65) 3613-9100 | www.prt23.mpt.mp.br | twitter: @MPT_MT | facebook: MPTemMatoGrosso | instagram: mptmatogrosso

Imprimir